terça-feira, 25 de setembro de 2007

Deus dos sem deuses, Deus do céu sem deus, Deus dos ateus!


Quero abrir minha boca e dizer algo proibido
Algo que há muito tempo minha língua quer soltar
Será para muitos a própria blasfêmia
Mais na verdade é a própria verdade
Aqui não há e nunca existirá
Dizem que é o que sempre existiu e sempre será
Será?
Não me importo com o que dizem tampouco o que pensam.
Pois eles não pensam
São ovelhas sendo levadas a gerações
Mas suas fé são inabalavelmente frágeis
Tão frágil quanto suas crenças
Eu não sou pagão
Eu não sou ateu
Eu só não acredito em Deus...
O que não se pode entender, não se pode julgar.
Eu sou Deus
Eu sou a imagem, eu sou a semelhança.
Eu sou quem sempre existiu, e sempre será.
Você é o Deus
Você é a imagem, você é a semelhança.
Você sempre existiu você sempre será.
É claro?
Não há nada externo
Nem céu e nem inferno
Está tudo em nós
Oh Santos
Oh Maria e Aves Marias
Oh Pai nosso
Quantas heresias...
E na verdade a única heresia existente
É deixar suas felicidade e sua paz
Dependente de outros
Outro Deus para poder culpar de suas injurias
Outro Deus a quem clamar com fervor
Outro Deus que não você
Para poder odiar caso de tudo errado.
Acorda!
A religião está ai para te dominar
E você é mais um cordeirinho indo para o abate
Sendo usado, sendo dominado.
Fazendo parte de uma grande massa.
Mais você pode ser religioso
E você pode ter fé
Por que você é seu próprio Deus
O seu Deus que se destrói
Ou o seu Deus que constrói
Você é como eu
O escultor da sua vida,
O escritor da sua vida
E o único Deus que poderá te ajudar
Está dentro de você
Só ele ajuda
Só ele te afaga
Por que só ele te conhece profundamente
E só ele não pode mentir para você
Pois é você mesmo!

Não tô entendendo!!!

Eu falo de limpeza da alma...
Ele fala de limpeza da casa;
Eu falo dos meus amores...
Ele fala de Deus;
Eu falo de dor profunda...
Ele fala de Jesus;
Será que a gente não esta se entendendo?
Eu não vou me adaptar...não vou me adaptar!!!!

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Lindo da mamãe!!!

Limpeza


Estou arrumando o quarto;
Tirando lembranças do armário;
Poeiras, badernas, trapos;
Sem reclamações;
Esperanças
Arrumando gavetas, sapatos;
Vivenciando antigas memórias
Varrendo o que ficou para trás
Limpando o passado
Abrindo caminhos
Não há poema e não há rima
Não há estórias e nem histórias
Apenas roupas apertadas
Que já não me servem mais
Apenas deselegância
A vida é nova;
Todos os dias, as horas;
A possibilidade das mudanças é agora,
Passou;
Passou de novo
Agarrei-me a esta
Mais lá no quarto;
Viva e bem viva esta a bagunça;
Esperando uma solução
Não sei dar soluções
Ainda não sei
O que possibilita a renovação?
O que eu devo trazer que eu não tenha?
Lá eu sei, não há ordem;
Não a espaço, não há.....
Arrumar meu quarto, meu armário;
É muito mais que apenas abrir as portas
É uma vida nova.
Por isso esta tudo no corredor,
Aguardando suas novas posições
Enquanto isso o quarto, o armário;
O guarda-roupa, a sapateira;
Permanecem insistentemente vazias
Sem roupas para guardar não há bagunça,
E cada um deles perde seu valor
E cada um deles espera por um novo objetivo
Assim como eu
Enquanto eles estiverem assim
Consigo parar para organizar as idéias
Mesmo que os meus corredores da casa estejam estreitos
Meu quarto esta cheio de nada
Meu guarda roupas esta nu.
A minha voz ganha amplitude
Pois tudo é eco no vazio do meu quarto
As portas que devo abrir
Fazem-me pensar que temo o novo
E eu o temo mesmo, não devo negar;
Mais uma hora ou outra terei de enfrentar
A minha nova realidade
Por mais que me doa;
Por mais que eu tema
Por mais eu teima em querer continuar como estou
A vida anda, e eu não posso ficar parada;
A minha limpeza
As minhas desmazelas;
A minha felicidade
Dependem da faxina que estou fazendo
E isto é mais difícil do que eu supus.

domingo, 16 de setembro de 2007

MARAVILHOSA!!!


Estava eu conversando com minha "brima" linda quer agora está morando longe la de longe onde toda beleza do mundo se esconde...ops..voltando...então, estava falando com ela pelo msn e comentei sobre Clarice Lispector, uma mulher fabulosa, a quem eu adoro ler.
Lembrei-me que este blog não serve apenas para dizer temendas besteiras, e sim muitas vezes passar cultura e conhecimento, certo?
Bom como não posso colocar a obra inteira da Clarice (minha super amiga) aqui, vou abster-me de colocar apenas um dos muitos e ótimos poemas:

Dá-me a tua mão

Dá-me a tua mão:

Vou agora te contar como entrei no inexpressivo
que sempre foi a minha busca cega e secreta.

De como entrei
naquilo que existe entre o número um e o número dois,
de como vi a linha de mistério e fogo,
e que é linha sub-reptícia.

Entre duas notas de música existe uma nota,
entre dois fatos existe um fato,
entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam
existe um intervalo de espaço,
existe um sentir que é entre o sentir
- nos interstícios da matéria primordial
está a linha de mistério e fogo
que é a respiração do mundo,
e a respiração contínua do mundo
é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio.

Tem certas coisas que não podemos dizer, apenas devemos mostrar aos outros e esperar que todos compreendam!


segunda-feira, 10 de setembro de 2007


O mundo esta desmoronando.
E eu estou parada a olhar.
Meus olhos não enxergam mais como antes.
Eles são seletivos, eles são tristes hoje.
Já não tenho muito a dizer,
Talvez não queira dizer nada mesmo,
Nada que vá mudar o rumo de nossas vidas
Nada que vá mudar o rumo da minha.
Sim, muitas pessoas hoje estão usando o Segredo.
O Segredo que às mudou
Ele mudou a minha
Mas mesmo assim
Não vejo nada alem de um negro buraco
Sem fundo, sem fim, sem nada.
Tem dias que me sinto uma enorme interrogação
Hoje as lembranças estão à flor da pele
Estão nos pensamentos
Nos lugares onde olho,
Nas conversas que tenho
Na historia de quem eu já fui.
E de quem eu me transformei.
Partes de que eu amo,
Partes de que eu odeio
E elas hoje estão neutralizando umas as outras
Por isso nem sei quem sou
O que quero ser.
Sinto que sou uma nevoa se dispersando no ar
Pronta a sumir a qualquer momento
A desaparecer sem deixar rastros e nem saudades
Apenas fuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu
Um sopro, um suspiro, um fechar de olhos.
E eu deixei de ser.
Se eu pudesse colocar uma musica nestas palavras
Uma melodia, um som qualquer,
A minha escolha, o meu desejo,
Alguém poderia escutar e entender
Alguém poderia ouvir o que vai dentro de mim
E saber que as palavras são tão poucas
Que elas não sabem falar o que sinto,
Que elas não conseguem entender a profundidade
O vazio, o buraco, o negro em mim.
Mais a melodia pode.
E é através dela
Que eu coloco minhas frases sem efeito
Minhas idéias insossas
Minha ideologia barata
Minha vida sem graça na bandeja
E sirvo para que alguém leia
Se é que alguém lê.
Mais esta melodia não posso transmitir
E só ela pode mostrar
Só ela pode falar sem palavras
Refletir sem espelhos
Existir sem alma.

πlararalararalararaaa&lararalararalalalaralaraalaraalarraalararaaala lalaaaaaaaalarirarilaraτlaririrlararalaralarariraaaaaaaφ lariralararalrilalalrararirirarala π

domingo, 2 de setembro de 2007

AI MEU BATYMOVEL!!!!

Olha to impressionada como tem gente irresponsável neste mundo!
De verdade gente, é de se revoltar...a minha sorte é que aprendi com as forças do universo...(Eu sou uma Jedai) a abstrair...quando fico nervosa eu falo três vezes..ABSTRAI ABSTRAI ABSTRAI... ai ai fico calminha calminha.


Ok ok chega de bobagens neh?
Acontece que na madrugada deste domingo, depois de um maravilhoso show do Almir Sater (que alias gente foi lindo, o cara toca PRA CARALHO!) estava eu indo buscar uma mc oferta, para terminar a minha noite contente...(só fico contente de barriguinha cheia), andando no meu batymovel, que é tudo de bom neh, tranqüila, amável, cantando, atravessando os cruzamentos, devarinho (como manda a Lei), na minha preferencial.
Aí eis que do nada aparece um Corsoringa , mistura de corsa com Coringa (O inimigo do Batymovel..entendeu??? hã hã...ok foi uma piada idiota, mais vou deixá-la aqui) e atropela meu batymovel..vou repetir...

A T R O P E L A....literalmente é claro.
Meu Batymovel desgovernada gira na pista, e paro atravessado na mesma...eu atordoada, tiro meu sinto , abro a porta, e corro em direção ao outro carro para ver se tem alguém ferido. Correndo desesperada para a esquina à procura do corsa, e chegando à esquina descubro nada mais nada mesmo que N A D A...o cara fugiu.
Não contente em bater no Batymovel, o corsa ainda tenta pegar um motoqueiro, mas este se safa do terrível veículo.
Passado o susto, as pernas bambas e três vezes o ABSTRAI , pude voltar ao normal, que não é muito normal. Os policiais foram acionados, porém não vieram ao local pois sem vitimas eles não podem sair para fazer o boletim no local.
Bom apesar de eu achar que eu sou uma vitima, compreendo que moro em uma cidade do interior, e não dá pra exigir muito neh não!
Brincadeiras a parte, na verdade eu realmente poderia ter me machucado, não aconteceu, mas se realmente houvesse algo grave, o carinha do corsa não saberia, afinal ele fugiu do local. O que leva uma pessoa a tamanha irresponsabilidade?
Será que os pais não deram à educação certa? Será que deram a educação mas não mostraram como usa-la? Mais do que palavras ao vento, são nossas ações que ensinam nossos filhos.
Será que as pessoas esqueceram o que a humanização. O que nós homens e mulheres estamos ensinando aos nossos filhos alias o que nossos pais ensinaram a nossa geração?
Hoje as pessoas dão valor a carros, brinquedos de luxo, objetos eletrônicos de ultima geração...o gostar é exteriorizado no dar dar dar dar dar...mais as pessoas não percebem que o dar não educa um cidadão, não torna uma pessoa apta a conviver com outras no mundo.
Só o respeito a todas as formas de vida é que educa um ser.
Todos nós somos responsáveis por nossos atos, pode ser que este nosso amigo que fugiu não saiba, mas ele vai ser responsabilizado pelo que fez, e se os pais educaram errado eles também serão responsabilizados, através dos atos de seu filho.
Eu escrevo muitas besteiras aqui, muitas coisa inútil, apenas para poder me divertir. Mas, o que eu sempre vou defender, de qualquer forma, em qualquer texto, por mais banal que ele pareça, é de que todos nós temos de respeitar uns aos outros, em qualquer tipo de relacionamento, em qualquer ambiente, de qualquer forma. Nosso amigo ao não parar para ver se eu estava bem, mostrou que não tem respeito pela minha vida, pela dele, pela vida de ninguém.
Mas como as coisas como já disse não ficam impunes, nosso amigo moto boy encontrou a placa do Corsa caída no chão. Agora esta placa me pertence...Neste momento posso deixar por um momento minha educação de lado pra dizer de boca cheia
S E FUUUDEEEEUUUU !!!!!!!!!!!!!!!!!