segunda-feira, 29 de junho de 2009

Hoje fiquei em casa, não fui a Terapia, e nem dei aula de Teatro, fui ao trabalho e fui despensada, pois não conseguia para de tossir...

Faço Terapia desde que meu pai virou estrelinha...mais sempre quis fazer

Terapia é uma daquelas coisas que todos deveriam experimentar fazer, é muito bom.

Fico perdidassa quando não vou a terapia.

Na verdade eu estou lá a um tempão mais não consigo me entender, fico fujindo das coisas que preciso encarar, tenho conciência disto, mais não sei exatamente do que eu fujo...é bem estranho!

Acredito que todo mundo é meio assim...

escrevi umm monte de coisas pra ler hoje na terapia, mais acabei que não fui...

Será que meu subinconciênte esta me sabotando?

terça-feira, 23 de junho de 2009

Por que???

Por que tem uma foto minha eternizada neste blog, olhando justamente para meus pés????
Será meus pés, não de certo que não é...
A muito que meus peitos não permitem que tal coisa aconteça....enormes e exibidos como só!
Uma Deusa Ecathe ecate ecati???? Já nem sei mais.... Apenas sei a Deusa da Fertilidade...
Posso procurar no goo...nem quero!
Enfim...acho que olhas pra frente são melhore, ou quem sabe olhos pra cima...não , afinal não há nada acima de mim...olhos pra frente com certeza...
Melhor mesmo é não ter foto nenhuma...

sábado, 6 de junho de 2009

01/06/09 Pensamentos

Os galhos das árvores voam com o vento, que passeia tranquilo pela tarde, conhecendo pessoas e seus sabores, degustando suas peles eriçadas por suas trapolias.
As folhas das árvores dançam um balé clássico, aproveitando um sol morno, típico das tardes de outono, iluminadas pela luz do sol elas se exibem, todas prosas por saberem que estão reluzentes, lindas dançantes, fazendo parte deste teatro natural.
As folhas que não estão iluminadas, dançam tristes, e parece que o balé são dois e não apenas um, um lado aquece nossos olhares, mas as folhinhas apagadas, que dançam nas sombras frias, transparecem suas tristezas, cabisbaixas e bicudas, ficam ali, também como nós, encolhidas para se proteger do frio e dos ventos fanfarrões que surgem no Outono.