sexta-feira, 10 de agosto de 2007


Tenho a impressão de que a vida é um sonho.

Muitas vezes sou eu quem estou sonhando, e muitas outras estou no sonho de alguém.

Acho até que a vida na verdade é um jogo, um jogo que não vem com as instruções, e você aprende a jogar na raça. Estranho não. O jogo que você, eu , e todos nós jogamos.

Este jogo não tem regras, não tem certo, não tem errado, e existem vários caminhos a seguir.

Neste jogo não se ganha, não se perde, apenas se aprende a jogar.

Posso dizer que a vida é um teatro também.

Qual o seu papel nesta peça,só você pode definir. Você é uma vitima, você é um derrotado, você é um vilão, um vencedor, um erudita?

Sabe, as vezes nós passamos por varios papéis na vida, até se enquadrar em um que realmente represente quem nós gostaríamos de ser, mas nunca quem realmente somos.

Ou você acredita que você ode responder quem você é?

Você realmente acredita que pode responder a pergunta do orkut? Quem sou eu?

Nós todos somos experiências que vivemos, dias, noites, brigas, conquistas....cada um vai encarar estas coisas de um jeito.

A história que eu vivi com minha irmã terá duas versões, a minha e a dela, e cada uma de nós levaremos esta experiência para nossas vidas de uma forma diferente, eu farei um papel, ela fará outro, e daqui algum tempo, quando falarmos desta experiência, ela já terá outra forma, pois o passado muda conforme o que a gente lembra, e claro acrescenta.

Vocês nunca perceberam que ao contar uma historia do passado, a gente lembra dela como uma verdade absoluta, mais que é absolutamente diferente do que ocorreu na época.

Sim, quando contamos uma história nossa, ela vem com coisas, e fraguimentos de outras histórias, que nosso cérebro mistura tudo...por isso minha historia vivida com minha irmã, sairá de um jeito pra mim, e de outro para ela.

Eu sei quais papéis representei. Sei de quais consegui por um fim, terminar, mas enquanto estamos vivendo um determinada papel nesta vida, não sabemos qual é.

Sei que já me vesti de vitima, e toda dor do mundo me pertencia, e todos tinham que entender minha dor, e eu deveria sempre falar dela, para que todos vissem que a minha personagem era a vitima.

Já fui a amargurada, a apaixonada, a Amélia, a criança.

Não me perguntem agora quem eu sou, pois eu não posso definir neste momento.

Mas sei que a vida é um´palco, e que no fim, todos queremos ser heróis e heroínas.

Eu sei que quero ser heroína, mesmo que não daquelas tradicionais, mas a minha maneira, acho que estou caminhando para o meu final feliz...para sempre..hahahha.

Como toda heroína precisa de um bom exemplo...(melhor que seja em casa mesmo) eu também tenho meu herói.

E para mim, ele é u melhor herói do mundo!

Alias a palavra pai e herói deveriam ser sinónimos, assim nem todos necessariamente seriam pai, por que nem todo pai é herói, mas deveria ser.

Bom o caso é que meu pai é um herói.

Eu não sei bem que papel ele quis fazer na sua peça, no seu palco da vida, mas, eu o vejo assim, um imenso, e maravilhoso e lindo herói.

TE AMO PAI, MEU HERÓI...ONDE QUER QUE VOCÊ ESTEJA, REPRESENTANDO QUALQUER PAPEL...PARA MIM VOCÊ SEMPRE SERÁ MEU HERÓI...SEMPRE COM FINAL FELIZ!

Nenhum comentário:

Postar um comentário